BLOG
RSS
Fósseis do Araripe - mostra da USP 'Fósseis do Araripe'
2018/01/27 19:45:08

Com raridades, mostra da USP 'Fósseis do Araripe' 

Exposição inaugurada no fim do ano passado selecionou 50 peças, entre elas o raro esqueleto completo de um pterossauro.
A peça mais importante da mostra é o esqueleto completo de um pterossauro - um réptil alado pré-histórico - da espécie Tapejara navigans, o único exemplar inteiro no mundo. “Hoje, são conhecidas cerca de 50 espécies de pterossauros no mundo e 23 delas foram identificadas na Bacia do Araripe. O Tapejara navigans já era conhecido, mas não havia nenhum esqueleto completo. O valor científico desse fóssil é inestimável.
O Museu de Geociências da USP inaugurou no fim de dezembro a mostra Fósseis do Araripe, com base nas quase 3 mil peças apreendidas pela Operação Munique, da Polícia Federal, em outubro de 2013. “O material era valiosíssimo do ponto de vista científico. De todas as peças, escolhemos as 50 mais interessantes e raras para montar a exposição”, conta Juliana Leme, pesquisadora da USP.



Paul Gaugin
2018/01/21 14:43:46

Gaugin

Matières à Rêves ( materiais sonhadores)

Belíssima exposição do pintor simbolista Paul Gaugin no Grand Palais de Paris até 22/01/2018.

Fiz essa apresentação a partir do vídeo da exposição, disponível em:

http://www.grandpalais.fr/fr/article/dernier-weekend-pour-lexposition-gauguin-au-grand-palais

Por quê Gaugin?

Minha paixão por Gaugin começou quando, aos meus 18 anos de idade, cursei a Faculdade de Educação Artística da Universidade de São Paulo, a ECA – USP.

Quando, ao fim dos estudos dos impressionistas (meu período favorito das artes plásticas), surge o simbolismo e com ele o enigmático Gaugin! As pinturas daquelas Tahilandesas, aquelas cores, a combinação cenário, temática, matizes cromáticas e algo mais que não sabia explicar me arrebataram.

Desde então, em todas as oportunidades que tive de ver as obras de PaulGaugin, a paixão por seus trabalhos só se acentuou!

Tive a oportunidade de vê-las em loco no Metropolitam de Paris, no Hermitage em São Petesburgo, na Nacional Gallery de Londres,  no Masp (O Autorretrato do Artista), no Museu D’Orsay, na magnífica exposição Paul Gaugin - Exposição Ícones da Arte Moderna - Coleção de Chtchoukine na Fundação Louis Vuitton - Paris

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1722916551322834&set=pcb.1722917744656048&type=3, e recentemente essa magnífica mostra no Grand Palais!

Compartilho com quem também é apreciador de Gaugin, ou quer conhecer mais de perto sua obra.
 
https://youtu.be/XjnQa9XO6m4
 

Febre Amarela
2018/01/19 17:50:35

Vacina da febre amarela tem validade?

Dose contra a febre amarela não precisa ser renovada e isso vale independentemente de quando você tomou a vacina.
Por: Ascom/Anvisa

Quem já foi vacinado pelo menos uma vez contra a febre amarela não precisa fazer uma nova visita ao posto de saúde. A avaliação sobre a vacina mostrou que uma única dose é suficiente para proteger contra a transmissão da febre amarela.

Até alguns anos atrás, a recomendação era de que a vacina fosse renovada de dez em dez anos, mas em 2014 a Organização Mundial da Saúde (OMS) mudou sua orientação quando conclui que o reforço da dose não é necessário para manter a proteção contra a doença.

No início deste ano o Brasil adotou a recomendação da OMS.

Tomei a vacina antes da mudança. O que faço?

Não é necessário se vacinar novamente. A vacina continua sendo a mesma. O que mudou foi o entendimento sobre a sua validade que até alguns anos atrás não era totalmente conhecida. Este tipo de revisão da validade de uma vacina pode acontecer porque são necessárias vários anos, e às vezes décadas, para ter certeza do período de validade da proteção de um medicamento como este.

Quem já tem o certificado não precisa trocar ou renová-lo. Quem já foi vacinado, mas não tem o certificado, precisa apenas agendar um horário em um posto de emissão do CIVP e apresentar o cartão nacional de vacinação com os dados da vacina. A vacina contra a febre amarela pode ser tomada em um posto de saúde ou em uma clínica particular.

Quais são os países que exigem o CIVP? A consulta poderá ser realizada no endereço:http://www.anvisa.gov.br/viajante. Clique no link: “Verifique as orientações para o país de destino” e serão apresentadas recomendações para sua viagem e a indicação da existência ou não de exigências sanitárias. Se houver exigência sanitária, será necessária a apresentação do certificado CIVP.

Como obter o CIVP?

A emissão do CIVP é gratuita e feita nos Centros de Orientação para a Saúde do Viajante da Anvisa, localizados em Portos, Aeroportos e Fronteiras. Desde abril de 2011, o certificado também pode ser emitido em Unidades do Sistema Único de Saúde (SUS) credenciadas, como postos de saúde e hospitais, e nas clínicas particulares credenciadas para essa finalidade.

Vale ressaltar, que os Postos da Anvisa não aplicam a vacina - apenas emitem o certificado. A vacina deve ser tomada nos serviços de saúde públicos e particulares, devidamente habilitados.

Para visualizar a lista dos serviços de vacinação privados credenciados acesse o endereço eletrônicohttp://www.anvisa.gov.br/viajante. Clique sobre o link “Centro de Orientação à Saúde do Viajante” e, após, no link “Consulte a lista completa dos Centros”.

Quais os documentos necessários?

- Cartão de vacina e documentos pessoais.

São aceitos como documentos de identificação pessoal a Carteira de Identidade (RG), o Passaporte e a Carteira de Motorista válida (CNH), entre outros.

A apresentação da certidão de nascimento é aceita para menores de 18 (dezoito) anos. Ressalta-se que crianças a partir de 9 (nove) meses já começam o esquema de vacinação.

A população indígena que não possui documentação está dispensada da apresentação de documento de identidade.

Para agilizar o atendimento, o interessado pode realizar um pré-cadastro no endereçohttp://www.anvisa.gov.br/viajante ao clicar na opção “cadastrar novo”.

Só o viajante pode assinar o CIVP?

Para obter o Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP), é imprescindível a presença do interessado (viajante) nos Centros de Orientação para a Saúde do Viajante.

Como se trata de um documento de validade internacional, a autoridade sanitária deverá garantir que a assinatura constante do CIVP seja idêntica à do Passaporte ou à da Carteira de Identidade (RG).

E quando se tratar de criança / adolescente menor de 18 anos?

a) Necessidade da presença do menor:

Não é necessária a presença da criança ou adolescente menor de 18 (dezoito) anos quando seus pais ou responsáveis solicitarem a emissão do seu CIVP nos Centros de Orientação para a Saúde do Viajante.

b) Necessidade de assinatura:

- No caso de menores que não assinam o nome, o responsável pelo menor deverá assinar o documento.

- No caso de menores que já assinam o nome, orienta-se que o CIVP seja assinado de forma idêntica aos demais documentos (Passaporte ou Carteira de Identidade) da criança ou do adolescente.

Mas fique atento, o CIVP sem a assinatura torna o documento inválido e a autoridade do país de destino poderá deportar o viajante por esse motivo.

No caso de conexão ou escala em outros países, há necessidade do certificado?

Dúvidas sobre a aplicação das normas de controle sanitário, incluindo a necessidade de apresentação do Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia em países onde se faz conexão ou escala, devem ser esclarecidas com a representação do próprio país (consulados / embaixadas) ou com a empresa aérea que opera nesses destinos.

O que fazer em caso de perda ou extravio?

Em caso de extravio do cartão de vacinação, o usuário deverá se dirigir à unidade de saúde onde tomou a vacina e solicitar a segunda via do documento.

Também pode procurar um dos Centros de Orientação de Viajantes da Anvisa para emitir gratuitamente uma nova via do certificado.

Quando a vacina é contraindicada?

Para casos em que a vacinação ou a profilaxia é contraindicada, o Regulamento Sanitário Internacional – RSI determina que o viajante deverá estar de posse de atestado médico que explique os motivos da contraindicação, escrito em inglês ou francês, não sendo determinado um modelo específico para esse documento. O RSI também determina que o país de destino tem autonomia para aceitar a contraindicação ou adotar uma dessas medidas adicionais para entrada do viajante.

A Anvisa divulga um modelo de atestado de isenção sugerido para esse fim, a ser emitido por um profissional médico.

O Centro de Orientação ao Viajante poderá chancelar atestado médico de contraindicação que esteja escrito em português, emitindo o Certificado de Isenção, destacando que esse documento não é previsto no RSI e tem a mesma validade que o atestado médico escrito em inglês ou francês. Para esses casos, faz-se necessário que, na avaliação do profissional médico, esteja explícito o porquê da contraindicação à vacina. As possibilidades de contraindicações para a imunização contra a Febre Amarela são: gravidez; alergia a componentes da vacina e pessoas imunodeprimidas. Como recomendação geral de qualquer imunização, consideram-se, ainda, a ocorrência de hipersensibilidade; histórico de reação anafilática após ingestão de ovo e presença de neoplasia maligna.

Demais motivos de contraindicação para vacina contra a febre amarela (Exemplo: idade superior a 60 anos, aleitamento materno, uso de outros medicamentos que não sejam imunossupressores), não são chancelados pela Agência. Nesses casos, o médico que avaliar a contraindicação é quem deverá atesta-la em inglês ou francês. O profissional poderá utilizar o modelo disponibilizado no site da Anvisa.

 





Oque é o Sisu.
2018/01/18 18:29:55

O que é o Sisu?

O Sisu é o sistema informatizado do Ministério da Educação por meio do qual instituições públicas de ensino superior oferecem vagas a candidatos participantes do Enem. 

Fonte: Guia do Estudante

 

Com a antecipação da divulgação das notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o Ministério da Educação (MEC) também decidiu antecipar o período de inscrições para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) 2018/1. Os estudantes terão de 23 a 26 de janeiro para participar da seleção. A alteração foi feita a pedido de profissionais do ensino superior e estudantes, que temiam o atraso no cronograma escolar. Anteriormente, as inscrições estavam planejadas para ocorrerem entre 29 de janeiro e 1º de fevereiro.

Para concorrer, é necessário ter feito o Enem 2017 e não ter tirado zero na redação. Notas de outras edições do Enem não serão aceitas. 

A consulta de vagas a serem disponibilizadas na primeira edição do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) 2018 já está liberada desde 12 de dezembro, podendo ser pesquisadas por curso, universidade ou município. Serão 239.601 vagas em 130 instituições superiores estaduais e federais

No período de inscrições, o estudante deverá acessar o site do SiSU e informar o número de inscrição e a senha do Enem 2017 e escolher, por ordem de preferência, até duas opções nas vagas ofertadas pelas instituições participantes do programa. Quem não tiver a senha de acesso poderá solicitá-la por meio do link “orientações para recuperação de senha”, disponível na página do Enem.

 

Pesos e nota mínima

Durante o período de inscrição, o sistema calcula uma vez por dia a nota de corte para cada curso, com base no número de vagas disponíveis e nas notas dos candidatos inscritos. O candidato pode, durante esses dias, modificar sua opção quantas vezes quiser. É importante lembrar que o Sisu considera somente a última inscrição concluída.

Algumas instituições participantes do Sisu adotam pesos diferenciados para as provas do Enem. Esta informação estará disponível para o candidato no momento da inscrição. Quando o candidato se inscrever para cursos em que a instituição adotou peso diferenciado para determinada prova do Enem, o sistema fará automaticamente o cálculo, de acordo com as especificações da instituição, gerando uma nova nota. Por isso, um candidato pode ter notas diferentes para cursos diferentes. Além disso, algumas instituições de ensino adotam uma nota mínima para a inscrição em determinado curso. Ao pleitear uma vaga, o aluno é informado se sua nota obtida é suficiente para concorrer àquele curso. Se não for, ele pode optar por outro curso ou outra instituição.

Para maiores informações consulte http://sisu.mec.gov.br/

 

Colaboração de Bruna Ronchi Oliveira, psicóloga responsável pelo serviço de Orientação Profissional na Basile Estudo Orientado – Aulas Particulares

 ( 11) 3022-2263 e 3022-2264

e-mail: basileestudoorientado@gmail.com

R. Cerro Corá 613 - Alto de Pinheiros.

 

São Paulo - S.P.

4 Total de ítens



TEL: 3022-2263 3022-2264
Basile Estudo Orientado - Aulas ParticularesAULAS PARTICULARES VESTIBULAR VESTIBULINHO ESTUDO ORIENTADOREDAÇÃOORIENTAÇÃO PROFISSIONALCOACHING PSICOPEDAGÓGICO E EDUCACIONALDEPOIMENTOS DE PAIS E ALUNOSPSICOPEDAGOGIADICAS e ARTIGOSBLOGALUGUEL DE SALAS