Educação na Grécia Antiga

EDUCAÇÃO NA GRÉCIA ANTIGA

 O ensino realizado na Grécia Antiga, se dava por meio de diálogos,
repletos de reflexões e apresentação de questões tanto pelos mestres
quanto pelos discípulos.





Na educação clássica grega podemos reconhecer esboços de modelos teóricos, cognitivos, éticos e estéticos que dão origem a toda cultura oriental.

Suas contribuições vão se desenrolando durante quatro períodos: Homérico - Clássico - Helenístico - Romano.

Período Homérico

HOMERO: autor de ILÍADAS e ODISSÉIA, é o principal pensador da época.

• Religião baseada na rivalidade entre os deuses e os heróis humanos.

• Deuses com características humanas (bons ou maus, justos ou injustos, nobres ou covardes).

• Os deuses são imortais e os homens também podem ser se tiverem comportamento de herói. Educação baseada na religião.

 “O herói prefere a morte heroica e coroada de glória a uma existência longa e sem brilho”.

O processo de formação dos jovens gregos se dava por meio da disputa e da concorrência. Acreditava-se que este era o caminho para o desenvolvimento do homem.

Este tipo de formação era conveniente para o estado, pois nos combate era o herói que glorificava e dava relevância ao seu Estado. Pode-se reconhecer a educação homérica em todas as manifestações da cultura grega. Por exemplo, os jogos olímpicos.

Período Clássico.

Por volta dos séculos 5–4a.C., a cultura grega entra no período clássico do seu desenvolvimento. Surgem as cidades-estados, chamadas polis. Principais polis gregas: Esparta e Atenas.

ESPARTA, Cidade militar e aristocrática. Mantém-se uma cidade de semiletrados. Em Esparta, o ideal homérico de formação se mantém (versão bélica). A educação deveria formar cidadãos compatíveis como projeto político do Estado. Jovens e crianças eram propriedades do Estado e deveriam ser moldados conforme seus interesses.

O principal objetivo da educação de esparta era transformar os jovens em bons soldados. As mulheres de esparta recebiam educação semelhante à dos homens, participando dos torneios e atividades esportivas. O objetivo era dotá-las de um corpo forte para gerar filhos sadios e vigorosos.

A partir dos 7 anos, os pais não mais comandavam a educação dos filhos. As crianças seriam entregues à orientação do Estado, que tinha professores especializados para esse fim. Na adolescência, os jovens eram encarregados dos serviços de segurança na cidade. Qualquer cidadão adulto podia vigiá-los e puni-los. Com 20anos, o jovem espartano entrava no exército. Somente aos 30 anos de idade adquiria plenos direitos políticos.

Observa-se que a educação visa somente a moldar o indivíduo conforme as necessidades do estado. O homem é “produzido” pelo e para o Estado. A formação descarta o desenvolvimento subjetivo e pessoal do indivíduo. Por volta de 550a.C. Esparta elimina de vez as artes e os esportes atléticos e se torna puramente militar.

ATENAS - Educação mais voltada ao aperfeiçoamento pessoal e subjetivo. Em Atenas a propriedade das crianças pertence à família, em especial ao pai. A educação visa à três aspectos: ginástica, música e escrita.

Ginástica - necessidades militares - ideal humanista de harmonia entre o corpo e a mente. Música, poesia, canto e dança - Formar o senso de temperança e moderação nos jovens.

PENSAR PELA PRÓPIA CABEÇA: DEMOCRACIA

Escrita - Principal meio de aquisição de conhecimentos e interação com estes. Criação do alfabeto.

·      PAIDÉIA (em grego antigo: παιδεία) é a denominação do sistema de educação e formação ética da Grécia Antiga, que incluía temas como Ginástica, Gramática, Retórica, Música, Matemática, Geografia, História Natural e Filosofia, objetivando a formação de um cidadão perfeito e completo, capaz de liderar e ser liderado.

Paidéia Grega - se caracteriza por uma educação mais humanista. O homem sendo o centro da medida. O Individualismo.

Inicia-se o século de ouro da cultura grega: o classicismo. As principais ideias do humanismo ateniense se expressam em termos de igualdade, liberdade e individualidade. Momento de excelência da democracia.

Com o passar do tempo foi se exigindo uma melhor formação intelectual do indivíduo, delineando-se três níveis de educação: elementar, secundária e superior. •. Por volta dos13 anos completava-se a educação elementar. •. Aqueles que tinham maiores condições de continuar os seus estudos entravam para a educação secundária. •Dos16 aos18anos, a educação superior só se dá com os sofistas.

Os sofistas eram considerados mestres da retórica e da oratória, acreditavam que a verdade é múltipla, relativa e mutável. Pitágoras foi um dos mais importantes sofistas.

·      ORATÓRIA.

O novo ideal de educação é a formação do bom orador, ou seja, aquele que saiba falar em público e persuadir os outros na política. Os sofistas eram mestres que, mediante retribuições vultosas em dinheiro, era responsável em preparar juventude para a oratória. Os sofistas contribuíram bastante para a sistematização e profissionalização da educação.

 

SÓCRATES. Os sofistas foram bastante criticados por Sócrates e seus seguidores por cobrarem e se julgarem sábios e possuidores da sabedoria. Para Sócrates o verdadeiro sábio é aquele que reconhece sua própria ignorância. Para combater os sofistas, Sócrates desenvolve a maiêutica.

MAIÊUTICA. Método socrático que consiste na multiplicação de perguntas, induzindo o interlocutor na descoberta de suas próprias verdades e na conceituação geral de um objeto.

Método de instrução da alma humana, pelo qual esta ascende e se torna apta a ingressar no caminho das virtudes. Por meio de perguntas e respostas, Sócrates ajudava os jovens a descobrirem, por si mesmos, as verdadeiras virtudes, que habitavam sua alma.

 “Conhece-te a ti mesmo”. Sócrates inquiria-se sobre a natureza humana procurando a essência comum a todos os homens. Assim, levou o indivíduo a procurar em si a sua essência humana que é comum entre os homens. Sócrates se tornou o pai da filosofia moral.

A Maiêutica de Sócrates (ou método dialético) cria um novo paradigma na educação atribuindo a esta mais dinâmica e efetividade. Seu método era baseado na dinâmica entre o mestre e o discípulo.

PLATÃO

Platão, principal discípulo de Sócrates, utilizou-se do método dialético para criar uma base sistemática da educação para vigorar numa sociedade perfeita. O modelo educativo de Platão, apesar de utópico, tem sido uma das principais fontes de inspiração da literatura pedagógica.

Modelo pedagógico de Platão:

 Aspecto moral: formação pessoal do indivíduo; aspecto social: participação harmoniosa e não conflituosa do indivíduo na sociedade. Segundo Platão, esses aspectos devem convergir para que haja uma sociedade perfeita.

Inicialmente, Platão propõe uma educação igual para todos, incluindo as mulheres. Ginástica para o corpo; música para a alma: responsável pelos estudos intelectuais (poesia, literatura, matemática).

A proposta de Platão contempla três modalidades, de acordo com o desempenho de cada um: •governantes (matemática, literatura, música); •guardiões (formação militar baseada na coragem e disciplina); •trabalhadores (saberes técnicos).

SÓCRATES.

Apesar da perfeita elaboração conceitual, a Paidéia Platônica não encontra aplicação na prática. O modelo mais difundido e explorado nessa época foi a obra de Sócrates.

Sócrates trabalha no plano da vida cotidiana e eficácia prática. Ao contrário de Platão que propõe um imenso ciclo de estudos, tão complexo e difícil que elimina, de princípio, a maioria dos candidatos.

Sócrates é contemporâneo de Platão. Fundou em 393a.C. sua própria escola. Na escola Socrática o ensino girava em torno da retórica. Sócrates dirige sua mensagem a todos e aposta na formação moral o povo, com base em quatro virtudes: prudência, força, temperança e justiça.

Programa curricular basicamente centrado no ensino literário e oratório. Um discurso simples, claro e acessível a todos. O processo educativo deve contemplar três aspectos fundamentais: talento, prática e estudo.

Talento: O talento diz respeito à predisposição natural do sujeito de aprender. Conteúdo: O conteúdo programático propõe a formação do corpo através da ginástica e a formação da alma por meio da música, poesia, gramática, retórica, matemática e filosofia.

Um grande avanço no sistema de Sócrates foi a inclusão da história. O estudo de acontecimentos passados fornece a base dos acontecimentos que estão por vir. O modelo Socrático serviu como fonte de inspiração para os pensadores do renascimento.

Período Clássico. ARISTÓTELES.

 Assim como seu mestre Platão, Aristóteles também considera o processo da formação humana em dois aspectos: Individual: segundo sua forma humana e seus dons naturais. Defende a posição de uma desigualdade natural entre os homens. Social: formação para o cidadão, já que este é parte da sociedade.

A principal diferença é que o modelo de Aristóteles apresenta um caráter mais realista.

 

EDUCAÇÃO NA GRECIA ANTIGA Bibliografia. MANACORDA, M. A. História da Educação: da Antiguidade aos nossos dias. São Paulo: Cortez, 1989. CAMBI, Franco. História da Pedagogia. São Paulo: UNESP, 1999.

<< [[Modules/Blogger/PubComment_:_backToHome]] Adicionar Novo Comentário
0 Total de ítens
Adicionar Nova Comentário
Nome*
Assunto*
Comentário*
[[Components/Captcha_:_title]]*
[[Components/Captcha_:_refreshImageTitle]]



TEL: 3022-2263 3022-2264
Basile Estudo Orientado - Aulas ParticularesAULAS PARTICULARES VESTIBULAR VESTIBULINHO ESTUDO ORIENTADOREDAÇÃOORIENTAÇÃO PROFISSIONALCOACHING PSICOPEDAGÓGICO E EDUCACIONALDEPOIMENTOS DE PAIS E ALUNOSPSICOPEDAGOGIADICAS e ARTIGOSBLOGALUGUEL DE SALAS